27 de novembro de 2007

apreenda-me, se for capaz.


eu preciso de um caderno que só tenha folhas no final. é, eu gosto de escrever nas últimas folhas, apesar de agora estar em uma das primeiras, já que as dez últimas folhas já estão cheias. ah, eu gosto de cadernos grandes também, mas é difícil encontrar cadernos grandes e grossos sem linha. então agora escrevo nelas, apesar de que preferia que não estivessem aqui. linhas limitam. mas mesmo assim, nunca uso uma inteira mesmo... sempre tenho um espaço no começo e no fim dela, é mania. tenho a impressão de que fica mais limpo. mas, dessa vez, não deixei espaço no fim da linha...
e não gosto de escrever diretamente aqui, teclando no computador. um lápis é fundamental pra mim. e uma folha em branco. eu prefiro o lápis mas nunca uso borracha, dificilmente. sim, meus textos originais são cheios de rabiscos, setas e parágrafos fora do lugar.
sobre o conteúdo, se analisar a fundo vai encontrar metáforas, nada é inútil aqui. tudo... cada palavra tem um motivo e revela um segredo ou esconde algo. creio que dificilmente alguém realmente entenda o que quero dizer. mesmo porque, não sabe em que contexto tudo se encaixa.
enfim, já não me recordo mais o que pretendia ao escrever tudo isso. mas de certo não é inútil, é? nada é.
-má.

Um comentário:

Juh Caprichosa disse...

Uau, ameeei seu blog!!!

Vc escreve muito bem...
Sempre que der darei uma visitinha aki!!!
Concordo com vc!!!
As linhas limitam muito!!!